Voltar ao Inicio

Terapias com Iodo

A dose terapêutica com Iodo-131(I-131), também conhecida como radioiodoterapia, é um tratamento complementar para a maioria dos tumores de tireóide já operados.

Se você já foi submetido(a) à cirurgia por tumor de tireóide e seu médico decidir fazer um tratamento com iodo radioativo, aqui você poderá saber mais informações sobre o assunto.

Iodo Radioativo (I-131)

O iodo radioativo é administrado em forma líquida, por via oral, concentra-se em tecido tireoideano, mas também nas glândulas salivares e no estômago, e é eliminado do organismo principalmente pela urina e muito pouco pelas fezes e pelo suor. Ele emite radiação do tipo Beta, que é o tipo de radiação usada no tratamento.

Quando o iodo radioativo for ingerido, haverá radiação no seu organismo, que agirá sobre os tecidos tireoideanos a serem tratados. Com o passar do tempo, o nível de radiação vai diminuindo de acordo com o decaimento do iodo radioativo e, ainda mais rapidamente, com a ingestão de grande quantidade de líquidos, o que estimula a produção de urina e assim, a liberação de urina radioativa para fora do organismo.

É importante que você saiba que o iodo radioativo não causa mal-estar ou alteração dos sentidos. Algumas pessoas podem sentir azia ou leve desconforto gástrico; pessoas que têm gastrite às vezes podem apresentar náuseas e vômitos durante a internação; no entanto, tais sintomas podem ser facilmente resolvidos com a utilização de medicações específicas, caso seja necessário. Ocasionalmente pode ocorrer inchaço e/ou dor nas regiões laterais da face (região das glândulas salivares) e alteração temporária do paladar, decorrente de inflamação das glândulas salivares e que pode ser evitada e tratada através da estimulação à salivação e com anti-inflamatórios, se necessário.

Preparo para a dose Terapêutica

O preparo realizado antes da dose terapêutica é feito para reduzir os níveis de iodo não radioativo circulantes no organismo. Este iodo pode interferir na concentração do iodo radioativo da dose terapêutica, portanto, deve-se diminuir a quantidade deste primeiro. Ele é encontrado no sal de cozinha, em muitos alimentos, contrastes radiológicos iodados, tinturas e xaropes para tosse, de forma que todos esses ítens deverão ser evitados.

Internação

A internação é necessária somente para tornar mínima a exposição à radiação das outras pessoas (familiares, amigos, dentre outros), principalmente nos primeiros dias após a dose terapêutica ter sido administrada, quando o nível de radiação é mais alto.

Você perceberá que o quarto terapêutico possui algumas particularidades: muitos objetos como interruptores de luz e o telefone são recobertos com plástico trocados a cada internação, para evitar que o iodo do suor fique aderido às suas superfícies e garantir a higiene do quarto.

Existirão biombos de chumbo dentro do quarto para barrar a radiação para o exterior, evitando que a radiação chegue aos outros pacientes internados e às pessoas que possam ter acesso às suas proximidades.

O quarto terapêutico possui: cama, mesa, cadeira, poltrona, televisão, telefone, banheiro exclusivo, armário, travesseiro e cobertores, roupa de cama e toalhas.

Para se distrair durante a internação, você poderá levar consigo objetos como livros, revistas, telefone celular, etc. Também poderá levar alimentos, inclusive os que fizerem parte da dieta pobre em iodo (como chocolates e refrigerantes, por exemplo), pois após a dose terapêutica, não precisará mais seguí-la.

Leve seu pijama, chinelos e objetos de higiene pessoal como sabonete e shampoo; se preferir, você poderá levar sua própria roupa de cama e até mesmo seu travesseiro, caso se sinta mais confortável. Todos os objetos trazidos poderão ser levados de volta por ocasião da alta hospitalar. Não é necessário se desfazer de nenhum pertence por causa da radiação, incluindo as roupas usadas durante a internação.

A equipe de enfermagem é treinada para que não entre no quarto desnecessariamente, porém, atenderá a qualquer chamado pela campainha e entrará em contato com o médico responsável a qualquer momento. Durante a internação, a equipe da copa e da enfermagem será orientada a oferecer líquidos em grande quantidade, várias vezes ao dia. Você será orientado a fazer bochechos com limão/limonada repetidamente. Se preferir, leve balas e/ou chicletes. Esses cuidados são necessários para prevenir a inflamação nas glândulas salivares, estimulando a salivação, já que essas glândulas também concentram o iodo radioativo.

Administração da Dose Terapêutica

O procedimento é simples e rápido. Após a internação, o médico responsável pela administração da sua dose terapêutica irá ao seu quarto com o iodo radioativo protegido em uma embalagem de chumbo. O iodo é líquido, transparente e não tem gosto algum. Depois que tomar o iodo radioativo, você precisará manter mais duas horas de jejum.

Pesquisa de Corpo Inteiro Pós-Dose Terapêutica

Com a finalidade de observar a distribuição do radioiodo nas áreas que foram tratadas e no organismo como um todo, cerca de 7 a 10 dias após a dose terapêutica, você fará um exame de corpo inteiro em uma das unidades do CMNP, com data e hora marcados durante a internação. Não haverá necessidade de tomar outra dose do iodo radioativo para a realização das imagens, pois o iodo da dose terapêutica terá radiação suficiente para o exame. Entretanto, você será orientado(a) a fazer uso de laxante um dia antes da pesquisa de corpo inteiro para obtenção de imagens adequadas da região abdominal.

Cuidados após a Dose de Iodo (I-131)

Permanecer afastado de crianças e mulheres grávidas;

Das demais pessoas, manter uma distância de no mínimo dois (02) metros;

Deverá lavar suas roupas íntimas separadas das outras roupas;

Dormir em ambiente separado das demais pessoas da casa;

Dar bastante descarga - três (03) a cinco (05) vezes- após urinar ou evacuar;

Evitar compartilhar talheres e copos, além de lavá-los separadamente do restante da louça;

Realizar bochechos com suco concentrado de limão ou laranja 4 vezes por dia por cerca de 2 dias consecutivos após a dose (parte do iodo em excesso é eliminado na saliva);

Hidratar-se adequadamente (a maior parte do iodo em excesso é eliminado na urina);

Poderá desenvolver qualquer tipo de atividade , desde que mantenha a distância indicada das outras pessoas;

Não tomar medicamentos sem orientação médica;

Agendar retorno com o (a) médico (a) que o (a) acompanha.

Após a ingestão do Iodo Radioativo, a dieta será liberada.

Ao sair do hospital, dia da alta hospitalar, o paciente já poderá iniciar a reposição do hormônio tireoidiano (Tiroxina), o esquema de reposição sreá orientado pelo Médico Nuclear que o atendeu.

Voltar